Quarta-feira, 11 de Novembro de 2009

Pichagem

Ando farto de pintar paredes com palavras vazias de cheias intenções

Ando a arrastar tintas e baldes e frustrações

Com frases feitas de quem nunca viveu o nosso tempo

Escritas ao nível da rua onde tu passas sem nunca me leres

Para além dos símbolos que, unidos, têm um sentido

Que só eu conheço e nós um dia conhecemos

 

Já ando farto de fugir à polícia e de, entre soluços,

Justificar a um rural gendarme

Que a vida só existe quando te escrevo na rua

Palavras vazias que tu nunca lês 

 

 


Quarta-feira, 20 de Maio de 2009

bollocks

 

 

further down the road, I saw an humble man or at least so it seemed

I knew he was humble because he had no smile and he had barefeet

the snakes around him laughed at me when I walked by

and sneered on his loneliness (or at least so it seemed)

but the man was not alone and little did I know

that the snakes were his pets and that this man it was me

Index:

Segunda-feira, 6 de Outubro de 2008

3-

 

As três souberam alimentar-me e tratar de mim. Uma vez estive doente. Tremeram-me as pernas quando me levantei da cama e só me lembro de ver o chão de madeira a vir contra mim a toda a velocidade. Acordei não sei quanto tempo depois, mas já devia ser noite. A hárpia já não tinha a farda de dia, mas a farda de noite, que era assim como que num tecido grosso mas era branco e estava com a cara de sempre, sem expressão. A minha cabeça doía-me imenso e tinha como que um cilindro de músculos e carne entre o nariz e o olho direito. Ela trazia um pano molhado na mão e quando se debruçou senti-lhe a teta no meu peito. Acho que foi a primeira erecção que tive e ela reparou e quase que juro que a vi esboçar um sorriso cúmplice. A partir desse acidente, de cada vez que que o corpo me obriga a espirrar, tenho dores no nariz. Mesmo assim não me consigo esquecer das suas tetas. Fantásticas hárpias que cuidavam de mim. Nunca me faltou nada.


Domingo, 5 de Outubro de 2008

2.

 

Acorda, porra! – desde a linguagem até à personagem, tudo era intenso no acordar. O grito, a cara da velha logo pela manhã. Esta era a pior, não lhe sabia o nome nem quis saber. Elas não se tratavam pelo nome, só as ouvia grasnar ordens umas para as outras. O curioso é que nunca se vi nada que se parecesse com uma marcação de território ou de poder entre elas, nem a mínima fricção ou sequer uma frustração por aceder à ordem pois era tudo uma questão de prioridade. Nada. Se a velha dizia a outra fazia, bastava ter dito primeiro.  Eu acordava e comia a massapapa que comia todos os dias, enquanto a velha trazia agua para eu tomar banho na tina de latão. A temperatura era sempre a mesma, nem muito quente nem muito fria. Eu gostava dos banhos. Depois vestia os calções e a camisa e calçava os sapatos da semana. Eu só sabia que era domingo, porque ao domingo mudavam-me os sapatos e vestiam-me uma jaqueta por cima da camisa. Mas nunca me levaram a lado nenhum.

Terça-feira, 30 de Setembro de 2008

1.

- Mexe-te, raio do puto! - diziam-lhe. É deixá-lo, que ele tem tempo para penar - diziam as alegres cassandras. E ele continuava quieto, ocasionalmente deambulava pela sala, como que se observasse um quadro pendurado na parede ou uma janela que permitisse ver, nem que fosse através de um pequeno orifício, o que estava lá fora. Percorria a sala, à volta da mesa onde as hárpias jogavam às cartas. O que elas não sabiam era que ele estava a ouvir música. Primeiro as madeiras, saltitantes como os pássaros madrugadores, seguidas num instante pela entrada em peso das cordas, dos metais, da percussão... E toda aquela parafernália sónica, que existia só na sua cabeça, começava a encontrar uma organização lógica, em que entravam guitarras, teclas, e no auge da introdução, pico das emoções, os músicos começam a suar, principalmente os vionistas, tinha-lhes arranjado uma secção tramada, com sequencias de acordes, em que todos os instrumentos soariam com a precisão e a alma de um primeiro solista conceituado. Acordou com a pesada garra da suína que hoje o levava ao quarto para deitar - "xixi cama" - Pianissimo.
Trouxe comigo o cheiro do álcool, entranhado na farda da vaca mas foi tudo o que consegui trazer.

.nada sobre mim

.Pesquisa-mos com carinho

 

.últimas pústulas

. Pichagem

. bollocks

. 3-

. 2.

. 1.

.Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
28
29
30
31


.últimas pústulas

. Pichagem

. bollocks

. 3-

. 2.

. 1.

.Pústulas Saradas

.Index

. todas as tags

.Coisinhas boas de se ler

. FELICIDADE

. INTROSPECÇÃO (II)

. PORQUE A MÃE JÁ TEM CARA ...

.Linques

.Donde vindes?

.Contai-vos

.Tuíta-mos

SAPO Blogs
RSS